Bom Dia - O Diário do Médio Piracicaba

notícias

24/01/2016 13h47

Funcionalismo público de Catas Altas ficam sem reajuste

Compartilhe

O secretário de Administração e Fazenda de Catas Altas, Felipe Guerra, afirmou a representantes do Sindicato Intermunicipal dos Servidores Públicos Municipais de Barão de Cocais, Catas Altas e Santa Bárbara (Sindicabasa) que só em maio a Prefeitura saberá se tem ou não condições de reajustar os salários dos cerca de 450 funcionários públicos.

“Só depois do primeiro quadrimestre vamos de fato saber o reflexo dessa paralização da Samarco e da Vale. Mais de 60% da produção da mina do Fazendão está parada e não temos expectativa que este quadro melhore. Estamos fazendo de tudo, com cortes de gastos em todas as áreas da Prefeitura para adequar. Se eu anunciar aqui um reajuste seria uma irresponsabilidade administrativa”, argumentou o secretário, mostrando gráficos aos sindicalistas.

A reunião com os representantes do Sindicabasa foi no gabinete do prefeito Saulo Morais (sem partido), mas ele não participou. Felipe Guerra estava acompanhado da chefe de Gabinete, Elcia Elena de Paula, e de funcionários dos setores de Controle Interno e Contabilidade.

“Vocês podem ver em nosso gráfico que o prefeito Saulo Morais, nesses anos de governo, manteve uma política de valorização dos funcionários, sempre fazendo os devidos reajustes. Para se ter uma ideia da crise que estamos passando, cortamos gastos com telefone, água, luz e até projetos sociais. Ano passado investimos R$ 80 mil na escola de música este ano só vamos colocar R$ 39 mil. Tem que reduzir para que a conta feche, não temos outra solução”, disse Felipe Guerra.

O secretário informou ainda que em dezembro a folha de pagamento fechou em 50,18% da arrecadação e que atualmente a Prefeitura tem em caixa em torno de R$ 5 milhões da Contribuição Financeira sobre a Exploração Mineral (Cfem), destinados para obras que estão licitadas ou serão. “É dinheiro da Cfem, que deve ser investido em infraestrutura. Hoje Catas Altas é dependente do minério de ferro, não existe outra fonte de renda na cidade”, disse ele.

A presidente do Sindicabasa, Rita Ribeiro, questionou Felipe Guerra sobre o atual número de cargos de confiança na Prefeitura de Catas Altas. O secretário não soube responder e ficou de fazer um levantamento e fornecer ao sindicato “até fevereiro”.

“Sem reajuste os funcionários não podem ficar. É preciso saber quantos funcionários comissionados [de livre nomeação] tem na Prefeitura e buscar uma solução”, disparou a sindicalista.

Rita Ribeiro disse ainda que marcará uma assembleia com os funcionários públicos para expor a situação. “O prefeito tem a versão dele, nós vamos mostrar a nossa e propor que, se ele quiser, o reajuste sai do papel. Se eles estão nessa linha mesmo de redução de gastos é hora deles cortarem na própria carne, em benefício dos trabalhadores”, disse ela.

Fonte: Diário de Barão

Bom Dia Online- Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.

by Mediaplus